O Espetáculo “Sem fim” da Confraria da Dança chega ao Centro Coreográfico

Em turnê pelo Sudeste, a paulista Confraria da Dança chega ao Rio de Janeiro com o espetáculo infantil “Sem Fim”, uma brincadeira com a ciência, os planetas e as galáxias. A relação do indivíduo com o mundo que o rodeia é o tema central da peça.

A obra leva o público a refletir: “Em volta de mim há um universo sem fim”. Essa seria uma constatação simples, que assombra pessoas de todas as idades, segundo os coordenadores da Confraria da Dança, Diane Ichimaru e Marcelo Rodrigues. “Do próprio umbigo, centro do corpo; ao centro da terra; ao centro do sistema; em busca do indecifrável universo que alimenta o âmago da vida… Encaramos estes questionamentos; pusemos-nos a brincar com nossos corpos; e criamos o espetáculo Sem fim, para estimular a criançada a questionar, imaginar e recriar o universo ao seu redor”, explicam os fundadores da companhia. “Quando nascemos, nosso Universo é pequeno e acolhedor: colo da mãe; berço; colo do pai; berço; colo da avó; berço. À medida que crescemos começamos a perceber o mundo além do nosso umbigo. Ao olhar para o céu percebemos que somos um pontinho minúsculo, suspenso na imensidão desconhecida do Universo. E surgem muitas perguntas… De onde viemos, quem somos, para onde vamos? Houve um princípio? Haverá um fim?” dizem  Diane e Marcelo.

 O espetáculo “Sem Fim” é uma brincadeira com a curiosidade humana, as descobertas da ciência e a nossa casa: planeta Terra, Sistema Solar, Via Láctea, Grupo Local (nas proximidades de Andrômeda e as Nuvens de Magalhães).

Trilha Sonora Original

A trilha musical foi especialmente composta para o espetáculo por Rafael dos Santos, que ousou na mescla de elementos da música erudita, à música antiga colocando “pitadas” de música progressista. A obra em questão foi gravada por uma pequena orquestra contendo flauta, trompa, piano, viola, violino, contrabaixo e percussão. Rafael transita livremente entre os universos da música erudita, da música popular brasileira e do improviso jazzístico. Suas características permitem a fluência no diálogo com os criadores/intérpretes no sentido da ampla integração das linguagens. Durante o processo de criação o compositor acompanhou ensaios e realizou improvisações, moldando o universo sonoro às necessidades de cada cena, com o objetivo de ambientar, complementar e dialogar, contribuindo para enfatizar situações climáticas, fragmentações e desvios de caminho de cenas, construindo em paralelo com o movimento uma diversidade de paisagens poéticas.

O espetáculo integra o Projeto “Em volta de mim há um Universo sem fim”, realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura – Programa de Ação Cultural – 2012 e do Prêmio Funarte Petrobras de Dança Klauss Vianna/2012. O grupo conta também com o apoio local da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – Secretaria Municipal de Cultura, Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro.

Tragam as crianças para assistirem e se encantarem!

Dias 15 e 16 de fevereiro, às 18h

Entrada franca

Classificação indicativa: Livre – especialmente recomendado para crianças de 07 a 12 anos

Local: Centro Coreográfico do Rio de Janeiro
Rua José Higino, 115 – Tijuca, Rio de Janeiro (junto ao Hipermercado Extra da Avenida Maracanã)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s